quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Parada LGBT leva 300 mil pessoas à Brigadeiro Lima e Silva


O evento tomou conta da Avenida Brigadeiro Lima e Silva
Com o símbolo maior do movimento - uma bandeira gigante com as cores do arco-íris – a 7ª Parada do Orgulho LGBT de Duque de Caxias (lésbicas, gays, bissexuais e travestis) lotou no domingo, 30 de setembro, a Avenida Brigadeiro Lima e Silva. De acordo com os organizadores, cerca de 300 mil pessoas participaram do evento que teve com tema: “O que esperamos da família?”.
Sete trios elétricos se revezaram e cruzaram a principal avenida do bairro 25 de Agosto. Barracas foram montadas ao longo da via e material informativo relacionado à saúde e cidadania entregues aos participantes, além de preservativos. A Parada do Orgulho Gay acontece em 50 municípios do Estado do Rio de Janeiro, a de Duque de Caxias é a segundo maior, perdendo apenas para a capital.
Para Ernane Alexandre, coordenador do Centro de Referência LGBT Baixada I, localizado no segundo andar do Restaurante Popular, em Duque de Caxias, a festa tem uma mensagem. “Queremos uma sociedade sem preconceito, igualitária, plural e o reconhecimento de nossos direitos”, disse Ernane.
Representando o governo no evento, o secretário de Meio Ambiente, Agricultura e Abastecimento, Samuel Maia, disse que a cidade prega o amor e a tolerância. “Duque de Caxias é a cidade da democracia, das conquistas e da liberdade”, falou o secretário do alto do trio. O secretário Estadual do Ambiente, Carlos Minc; o superintendente de Direitos Individuais, Coletivos e Difusos do Rio, Cláudio Nascimento; o presidente do Grupo Arco-Íris, Júlio Moreira; e a atriz, Viviane Araújo; também participaram da abertura do evento.
Durante o evento foi divulgado o Centro de Referência da Cidadania LGBT (Rua Frei Fidelis, s/nº, em frente ao Shopping Caxias), onde são realizados atendimentos às vítimas de descriminação e violência homofóbica, retificação de nomes e sexo, retirada de documentos, acesso à educação, etc.
Carlos Minc, Viviane Araújo,Carlos Nascimento, Samuel Maia e Ernane Alexandre


Texto: Antonio Pfister
Fotos: Paulo Martins

Um comentário: